Desenvolvimento Social

Potencial de desenvolvimento dos municípios fluminenses: uma metodologia alternativa ao IQM, com base na análise fatorial exploratória e na análise de clusters

Aplicação das técnicas estatísticas de análise fatorial exploratória e de análise de clusters na identificação do potencial de desenvolvimento dos municípios fluminenses. A investigação toma por base a mesma matriz dos dados utilizados pela Fundação CIDE para compor o IQM - Índice de Qualidade dos Municípios. (Caderno de Pesquisas em Administração, FEA/USP, 1º trim 2002)


O desenvolvimento social nos estados brasileiros

Avançando na aplicação do IDS, os estados brasileiros foram classificados em alto / médio e baixo desenvolvimento social. Por exemplo: SP foi alocado no 1º grupo, MG no 2º, e BA no 3º.(Revista Conjuntura Econômica, FGV/Ibre ,Março 1994, p.102-106)


O IDS e o Desenvolvimento Social nas grandes regiões e nos estados brasileiros

Faz uma resenha da evolução da metodologia do IDS e, ao final, apresenta o Mapa do desenvolvimento social para os estados brasileiros.Faz uma resenha da evolução da metodologia do IDS e, ao final, apresenta o Mapa do desenvolvimento social para os estados brasileiros. (Texto para discussão apresentado no IPEA, junho 1994 - ler apenas a Introdução e ver o Mapa)


Os pobres e os ricos do Brasil

Usando os indicadores de distribuição de renda adotadas para a construção do IDS, ficou evidenciado que os ricos do Brasil estavam relativamente bem posicionados no ranking internacional, enquanto os pobres do Brasil estavam entre os mais pobres do mundo. (Revista Conjuntura Econômica, FGV/Ibre , Março 1993 – p.48 -51)


Industrialização e desenvolvimento social - Coréia do Sul

Diferente do que ocorreu no Brasil, o modelo de industrialização seguido na Coréia do Sul entre 1960-91 conseguiu manter e reproduzir formas modernas de organização social, porém não desenvolvimento social. Veja porque.(Revista Conjuntura Econômica, FGV/Ibre, Março 1991 – p.40-46)


O Índice do Desenvolvimento Social - IDS

O IDS foi criado como uma adaptação para a realidade brasileira do (na época) recém-lançado IDH, e aplicado para a análise social das cinco grandes regiões do país. (Revista Conjuntura Econômica, FGV/Ibre, Janeiro 1991 – p.75-79)

MARIA CECÍLIA PRATES RODRIGUES
Rio de Janeiro - Brasil

Maria Cecília é economista e mestre em economia pela UFMG, e doutora em administração pela FGV /Ebape (RJ). A área social sempre foi o foco de suas pesquisas durante o período em que esteve como pesquisadora na FGV , e depois em seus trabalhos de monitoria, consultoria, pesquisa e voluntariado.