Fundos Patrimoniais no Brasil: quantos e quais?

Por on 29/04/2022

Excelente iniciativa do IDIS – Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social e da Coalizão pelos Fundos Filantrópicos em criarem e seguirem atualizando o MONITOR DE FUNDOS PATRIMONIAIS NO BRASIL. Para cada Fundo, estão apresentadas no Monitor informações como ano de criação, valor do patrimônio, local da sede, o site, se está dentro da nova legislação e a data da atualização dos dados.

Sobre os Fundos Patrimoniais no Brasil, fiz uma reflexão no início de 2019, sobre o que eles são, como funcionam e os desafios (Fundos patrimoniais vão mudar a cultura da doação no Brasil?)

A meu ver, o Monitor representa uma maneira de estimular a constituição de fundos patrimoniais filantrópicos no país. Ou seja, uma alternativa para famílias ricas e pessoas bem sucedidas na vida poderem deixar um legado que irá contribuir, por um lado, na redução da pobreza e exclusão social e, por outro, na ampliação das oportunidades de pesquisa, estudos, cultura, artes e lazer no país como um todo.

Da observação da planilha do Monitor (veja no LINK ) em abril/2022, o total de dos Fundos Patrimoniais (FP) Filantrópicos no Brasil era de apenas 54. Desse total, dez foram criados depois de 2019, isto é, a partir da Lei 13.800 /2019 que normatizou a constituição dos FPs no país. O Fundo Patrimonial mais antigo é de 1956, da Fundação Bradesco.
Há uma grande diversidade no valor dos Fundos Patrimoniais, indo de R$ 100 mil até R$ 65 bilhões.

Fica aqui a dica para acompanharmos o LINK do Monitor dos Fundos Patrimoniais Filantrópicos, pois a “planilha completa dos Fundos” deverá ser regularmente atualizado pelo IDIS / Coalizão. E, na medida do possível de cada um, buscar contribuir para a criação e o fortalecimento desses Fundos!

TAGS
POSTS RELACIONADOS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

MARIA CECÍLIA PRATES RODRIGUES
Rio de Janeiro - Brasil

Maria Cecília é economista e mestre em economia pela UFMG, e doutora em administração pela FGV /Ebape (RJ). A área social sempre foi o foco de suas pesquisas durante o período em que esteve como pesquisadora na FGV , e depois em seus trabalhos de monitoria, consultoria, pesquisa e voluntariado.

EnglishPortugueseSpanish
EnglishPortugueseSpanish